Numa chuvosa noite de inverno, poucos motivos nos fariam sair de casa e combater o stress de um trânsito a contas com tantos acidentes como aconteceu ontem nos arredores de Lisboa. A verdade é que, para além da promessa de um bom abrigo, qualquer coisa mais nos teria que convencer a fazê-lo. Depois de muitas voltas para conseguir um lugar de estacionamento perto do Mercado da Ribeira em Lisboa, lá nos encontrámos com a esperança de um resto de noite quente. Quente não significaria que tivesse que ter uma lareira ou um sofisticado sistema de aquecimento de ar. Bastava a ideia no nosso imaginário de que algo de especial iria acontecer de seguida. Ainda a contas com as voltas que demos, a verdade é que acabámos por nos atrasar, e chegar 5 minutos depois da hora marcada para o primeiro concerto da noite no Estúdio Timeout.

Cristóvam de seu nome, açoriano de nascença, trazia consigo cerca de 20 minutos de “Hopes & Dreams”, o seu último trabalho editado no ano passado. Se ficássemos por aqui, talvez não lhe provocássemos a mesma curiosidade que se agora afirmássemos a pés juntos que Flávio Cristóvam é o primeiro português a conseguir um primeiro lugar no prestigiado International Songwriting Competition. Pois. Do resto escusamos de mais comentar, em palco justificou porque ganhou este prémio e só nos resta sugerir que oiçam o último trabalho deste português ainda pouco conhecido do nosso público.

Seguia-se Scott Matthews, o artista principal da noite, para nos trazer a boa disposição e humor britânicos, e uma voz tão limpa e cristalina que mais se confundia com o que tínhamos antes ouvido gravado no seu spotify. A acompanhar, a mestria dos seus dedos à guitarra (ou às guitarras, contámos pelo menos 3 guitarras usadas em palco). Num concerto que teve a duração de aproximadamente 1h30, Scott intercalou temas do último álbum “The Great Untold” – que dá o nome à tour – com temas clássicos da sua obra, tais como “Myself again” (do álbum “What the Night Delivers”), “Drifter” (“Home Part 2”), “City Headache” (“Passing Stranger”). Dizíamos nós que poucos motivos nos tirariam do quente da nossa casa para a rua. Esta noite de concertos no Estúdio Timeout foi o motivo.

Se há registo que se adequa a uma noite chuvosa de inverno é o do embalar tranquilamente pela voz e guitarra deste britânico que nos convenceu, e que continuará a sua tour por Portugal por mais três cidades – Coimbra (31 Janeiro, TAGV), Ílhavo (01 Fevereiro, Laboratório das Artes – Teatro da Vista Alegre)  e Guarda (02 Fevereiro Teatro Municipal). No final, final fomos ainda premiados com a simpatia in persona de Scott e Cristóvam, que estiveram junto de todos a trocar algumas palavras e a assinar os CD numa calorosa noite de inverno.

Deixa um comentário