Lana del Rey, SZA, Pulp, Mitski, The National, PJ Harvey e Justice lideram um cartaz equitativo que percorre o espectro musical ao longo das 48 confirmações.

O Parque da Cidade volta a ser o palco da décima primeira edição do festival que decorre entre 6 e 8 de Junho. Os passes gerais já estão à venda na DICE e locais habituais (FNAC, CTT e El Corte Inglés).

Uma semana após o anúncio do cartaz para a edição em Barcelona, o Primavera Sound Porto também olha para o futuro, conduzido automaticamente a um momento e um lugar: 6, 7 e 8 de Junho no Parque da Cidade, um recinto de sonho transformado num espaço de peregrinação para a comunidade Primavera. Após descobrirmos o quando e onde da décima primeira edição do Primavera Sound Porto, já firmemente estabelecido como uma referência no circuito europeu e não apenas como o “irmão” de Barcelona, apresenta-se agora o cartaz completo para a próxima edição. Amplo e ecléctico, perfeitamente afinado com a filosofia que trouxe o festival até aqui, mas enriquecido com características próprias após uma década de influências mútuas em solo português. Um compêndio de 48 artistas nos quais cabem infinitas rotas, embora todas levem ao mesmo destino: três dias para nos deixarmos surpreender pela música contemporânea mais importante do momento.

Um cartaz que grita “girls to the front!”

O facto de o excepcional ter se tornado comum no universo Primavera Sound não significa que não devamos continuar a destacar algo que, a nível global, é incomum. Embora poucos festivais no mundo tenham artistas femininas como headliners, o mundo real diz outra coisa: Lana del Rey e SZA encabeçam o Primavera Sound Porto 2024 por mérito próprio. A primeira, definitivamente estabelecida como a grande compositora da música norte-americana deste século; a segunda, um talento geracional que transcende os limites do R&B, actua em Junho pela primeira vez em Portugal. Ambas lideram um cartaz com predominância de artistas femininas (41,67% de mulheres, 39,58% de homens e 18,75% de projectos mistos), onde também se destacam Mitski, que demonstrará que é muito mais do que uma cantautora de culto, e PJ Harvey, pronta para se desdobrar em todas as diferentes facetas que esconde dentro de si. Além disso, Pulp vão regressar aos palcos com sua colecção de hinos extraordinários e até mesmo com novo reportório, The National vão abrir as portas à discografia na qual já nos sentimos em casa, e Justice vão conduzir a festa com a autenticidade já conhecida da Ed Banger Records neste regresso ao Parque da Cidade.

Um cartaz 100% Primavera

Uma vez localizados os Shellac, aquela banda que não toca em festivais, mas que ano após ano marcam presença no universo Primavera Sound, não há dúvida de que estamos perante um cartaz 100% Primavera, embora este não seja o único selo de aprovação que se destaca numa lista de quase meia centena de nomes, tão eclética e transversal que só pode ser Primavera Sound. Na edição de 2024 sobrepor-se-ão sons de todas as formas e estilos: da nova canção gótica de Ethel Cain aos refrões fluorescentes de Kim Petras, do folk flutuante de Julie Byrne à polirritmia das raízes afrobeats de Obongjayar. O pop radical de Arca, o no-jazz de This Is The Kit, os diferentes caminhos no rock trilhados por Amyl and the SniffersTropical Fuck Storm e Mannequin Pussy, o barroquismo digital de Eartheater e o universo de Lambchop na sua versão mais pura: tudo tem lugar aqui.

Um cartaz com esconderijos

Embora este cartaz reserve revelações e descobertas em cada canto, existem cantos de difícil acesso onde se escondem propostas musicais especialmente camufladas. Não é uma armadilha, mas sim um baú do tesouro: alcançá-los traz uma recompensa. A compositora Joanna Sternberg e suas baladas caseiras. Lankum, uma banda de folk mutante retirada de uma fábula celta. Tirzah e sua procura contínua pelo glitch. billy woods, veterano do hip-hop underground habituado a rimar nos limites. Wolf Eyes, o sonoro de Nate Young e John Olson. Lisabö e seu post-hardcore incansável. Projectos que navegam contra a corrente, outsiders que agora encontram o seu lugar com naturalidade no Primavera Sound Porto 2024.

Um cartaz com a tua próxima banda favorita

Queres rápido? Militarie Gun. Preferes psicadélico? Crumb. Um pouco furioso? Scowl. Talvez mais extravagante? Water From Your Eyes. Ou memorável desde o primeiro acorde? Royel Otis. Ou eufórico? The Last Dinner Party. Ou mais poderoso? Mandy, Indiana. De qualquer forma, a tua próxima banda favorita está no Primavera Sound Porto 2024. O Parque da Cidade será o cenário perfeito para testar ao vivo a explosão de todos esses artistas. O oposto total seria o caso dos veteranos Blonde Redhead, plenamente reactivados depois de lançarem o seu primeiro álbum após quase uma década. Os nova-iorquinos vão apresentar “Sit Down for Dinner”, o seu décimo álbum.

Um cartaz em português

Como é habitual, o Porto voltará a abraçar uma filosofia “created in Barcelona” que há muito tempo também é sua por direito próprio, mas o intercâmbio de influências ocorrerá novamente em ambos os sentidos. Cada incursão em território luso permite ao Primavera Sound conhecer de perto o imenso universo que é a música portuguesa, representada no cartaz por Amaura, Ana Lua Caiano, André Henriques, Best Youth, Classe Crua, Conjunto Corona, Expresso Transatlântico, Máquina, Milhanas, mutu, Samuel Úria, Silly, Soluna e Tiago Bettencourt. Uma janela para espreitar sonoridades contemporâneas de um país que não tem uma única trilha sonora, mas sim infinitas.

Os passes gerais para o Primavera Sound Porto 2024  já estão disponíveis pelo valor de 175€*, em DICE e nos locais de venda habituais (FNAC, CTT e El Corte Inglés). Os passes gerais VIP, pelo valor de 250€*, também já estão disponíveis.

*Custos de operação não incluídos

Deixa um comentário