De portas fechadas, sem poder retomar a sua programação artística, o Musicbox lançou o desafio à EGEAC e ao Teatro Municipal São Luiz de se apropriar do espaço para um ciclo de concertos. Desafio prontamente aceite, Takeover #1 – Musicbox no São Luiz junta o clube e o teatro municipal numa parceria da qual resultam 9 sessões de música ao vivo a decorrerem de 9 a 12 e de 15 a 19 de julho.

Takeover #1 leva ao palco da Sala Luis Miguel Cintra do São Luiz os Linda Martini, B’Leza apresenta Baile Sentado, Batida, Lavoisier, João Bento, Márcia, The Legendary Tigerman, Moullinex, Bruno Pernadas, Ghost Hunt e Violeta Azevedo.

Os bilhetes já se encontram à venda em bol.pt e nos locais habituais.

PROGRAMAÇÃO COMPLETA

Linda Martini – 9 de Julho – 21:00 – 15€

Os Linda Martini nasceram em 2003 e são uma banda de Rock. Da sua formação fazem parte André Henriques, Cláudia Guerreiro, Hélio Morais e Pedro Geraldes. Desde 2006, o grupo soma cinco álbuns editados: “Olhos de Mongol” (2006), “Casa Ocupada” (2010), “Turbo Lento” (2015), “Sirumba” (2016) e Linda Martini (2018). Enquanto se encontram a preparar o sexto longa duração e o início de um novo ciclo, Linda Martini sobem ao palco da Sala Miguel Cintra no São Luiz para um concerto focado nos temas dos trabalhos já editados.

B.leza apresenta Baile Sentado – 10 de Julho – 21:00 – 12€

Fruto de uma Lisboa mestiça, mas também motor de uma Lisboa assumidamente crioula, o clube B.Leza tem sido, nos últimos 20 anos, o ponto de encontro da cultura lusófona, com ligação especial à comunidade de Cabo Verde e aos ritmos da Kizomba, do Funaná ou da Coladera.

No dia 10 de julho, o B.Leza sobe ao palco do São Luiz para apresentar “Baile Sentado” e leva um punhado de boa gente acompanhado das suas guitarras, cavaquinhos, vozes e o que mais lhes couber na bagagem para nos devolverem um pouco do mundo e tempo perdidos. Jon Luz, Maria Alice, Nancy Vieira e Tito Paris dão as vozes e talentos a este Baile.

Batida apresenta: The Algorithm is not African! – 11 de Julho – 21:00 – 13€

Pedro Coquenão tem criado e desenvolvido trabalho na área da música, rádio, dança, artes visuais e plásticas sob o nome Batida. Batida apresenta: The Algorithm is not African! foi criado para o #TheRootsAfricaDay, a convite dos The Roots, e transmitido a 18 de junho na Worldwide FM de Gilles Peterson. Batida apresenta: The Algorithm is not African! é o resultado de um artista Luso-Africano confinado em casa, a partilhar música, tecidos, tecendo comentários sobre a imagem refletida de África no mundo ou sobre como o algoritmo traduz o continente.

Lavoisier apresentam “Viagem a um Reino Maravilhoso” – 12 de Julho – 21:00 – 10€

Miguel Torga por Lavoisier: Viagem a um Reino Encantado é o mais recente disco e espetáculo de Lavoisier, dupla que junta Patrícia Relvas (voz) e Roberto Afonso (guitarra e voz). A partir dos poemas de Miguel Torga, os Lavoisier apresentam um álbum conceptual, composto por e para duas vozes, uma guitarra e várias frequências que traduzem o som encontrado na poesia do escritor natural de São Martinho de Anta, Sabrosa, Vila Real. A Lavoisier junta-se ainda o artista sonoro e visual João Bento.

Márcia (solo) – 15 de Julho – 21:00 – 12€

Márcia é seguramente um dos talentos maiores da composição em língua portuguesa. Os seus discos atestam isso mesmo. Início com o EP “A Pele que Há em Mim”, seguiu-se “Dá”, “Casulo”, “Quarto Crescente” e “Vai e Vem”, editado em 2018. Este último registo é precisamente o mais recente trabalho da viagem da compositora, ao qual se seguiu o single Vai tudo passar amanhã, lançado em fevereiro deste ano. Márcia apresenta um espetáculo impactante em que as suas canções são pautadas por uma narrativa de luz muito personalizada.

The Legendary Tigerman (one man band) special guest João Cabrita – 16 de Julho – 21:00 – 15€

“Inspirado no velho formato de one-man-band nascido nas margens do Delta do Mississipi”. É assim que começa o press release de The Legendary Tigerman. E assim tem sido nos últimos 20 anos. A primeira frase sempre foi o mote, a fundação de tudo, quase como um mantra que ecoaria em cada canção de Paulo Furtado. Tigerman fez-se de muitas formações, muitos formatos para entregar o rock n’ roll como só ele sabe… em doses desmedidas de turbulência e agitação, exatamente como tem de ser. 20 anos depois da estreia a solo, The Legendary Tigerman regressa ao palco novamente sozinho, acompanhado apenas da sua guitarra, um kit de bateria e um kazoo. O concerto no São Luiz conta ainda com a participação do saxofonista João Cabrita, companheiro de palco e “parceiro de crime” do The Legendary Tigerman.

Moullinex – 17 de Julho – 21:00 – 15€

Moullinex é o alter ego do português Luís Clara Gomes, DJ, produtor e multi-instrumentista que se estabeleceu como um dos principais protagonistas da cena disco nacional. Moullinex prepara-se para editar um novo longa duração e, no dia 17, vai apresentar com a sua banda alguns dos temas deste trabalho depois de os ter levado a palco pela primeira vez na temporada “Rough Mix”, realizada no Musicbox no início deste ano.

Bruno Pernadas – 18 de Julho – 21:00 – 10€

Bruno Pernadas é um compositor, produtor e multi-instrumentista português. O músico editou três álbuns em nome próprio através da Pataca Discos: “How Can We Be Joyful In a World Full of Knowledge” (2014), “Those Who Throw Objects at The Crocodiles Will Be Asked to Retrieve Them” (2016) e “Worst Summer Ever” (2016). Já a finalizar a produção do novo disco, com edição prevista para o início de 2021, este concerto assinala o fim do ciclo do álbum “Those Who Throw Objects at The Crocodiles Will Be Asked to Retrieve Them” (2016).

Ghost Hunt apresentam II + Violeta Azevedo – 19 de Julho – 21:00 – 8€

Os Ghost Hunt são um duo eletrónico composto por Pedro Chau (baixista dos The Parkinsons) e Pedro Oliveira (outrora conhecido do circuito noise como Monomoy). Formados em 2015, a parelha lançou no ano seguinte o primeiro disco homónimo pela Lux Records. Em maio deste ano, estes caça-fantasmas aterraram de novo na estratosfera das edições discográficas e lançaram o sucessor “II” com selo Lovers & Lollypops, disco que trazem ao palco do São Luiz. O concerto de abertura desta sessão será protagonizado por Violeta Azevedo, artista experimental lisboeta que utiliza a flauta transversal como instrumento principal criador de mundos de surrealismo sonoro.

+info em musicboxlisboa.com e teatrosaoluiz.pt.

Deixa um comentário