Atire a primeira pedra quem nunca teve o sonho adolescente de ter uma banda com amigos. Muitos viveram-no, sim, mas nem todos atribuíam a importância ou o empenho que era exigido. Felizmente, os Them Flying Monkeys não pertencem a este último grupo.

Banda rock alternativa, o quinteto oriundo de Sintra nunca parou de viver o seu sonho, e tal e qual como nos contos de fadas, o sucesso foi aparecendo: depois de vitórias no Vodafone Band Scounting e no EDP Live Bands, que levou os Them Flying Monkeys a pisar os palcos do Vodafone Mexefest e do NOS Alive, o primeiro longa-duração Golden Cap foi lançado, fruto de muito esforço, sacrifício e, acima de tudo, amor à coisa.

Depois de uma extensa tournée por Portugal, com direito a uma perninha por Espanha, França e Itália, os Them Flying Monkeys preparam agora o seu segundo disco de originais, com lançamento prevista para Outono próximo. Como tal, e à boleia do seu mais recente single, “Come Upstairs”, a banda passou pelo Sabotage para desvendar um pouco do véu para com o seu próximo trabalho.

Sem direito a banda de abertura, o Sabotage foi todo dos Them Flying Monkeys. Apesar de não primar pela afluência, a companhia fez-se de amigos, família e alguns curiosos, cenário idílico para se proporcionar um certo ambiente intimista; quantidade não é qualidade, não é assim?

Já lá vão quatro anos desde que os Them Flying Monkeys surgiram, mas a promoção para o campeonato das estrelas só veio em 2017. Para esta nova época, a equipa de Sintra reforçou-se e é mais do que nítido que a banda está apta para competir com os grandes.

A faceta tímida e acanhada ficou para trás e deu lugar a uns Them Flying Monkeys bem mais seguros de si próprios, tocando com uma dose extra de intensidade com genica à mistura; já são muitos concertos a tocar Golden Cap de lés a lés, e como tal, nunca antes o álbum soou tão bem como no Sabotage, tal é a cumplicidade que foi crescendo com os anos

20190727 - Concerto - Them Flying Monkeys @ Sabotage Club

Diogo, Francisco, João, Hugo e Luís estão no auge da confiança por trás dos seus instrumentos, com este último a pôr de parte uma outrora postura reservada e a adotar uma persona típica de frontman, com malabarismos de voz à mistura.

“Come Upstairs”, novo single, mostra uma clara evolução de sonoridade, com mais arranjos e até uma certa audácia, mas apesar da robustez, não soa desenquadra perante a ainda palpável juvenilidade de “Random Request” ou “Halos”. Aliás, se se fechar os olhos, e mesmo estando mais maduros, ainda se sente o mesmo contentamento e diversão em palco de quando os Them Flying Monkeys eram ainda uns putos ambiciosos.

Com “Molly” a marcar a entrada na fase de prolongamento, e na companhia daqueles que lhes são tão queridos, os Them Flying Monkeys quase que transpareceram a ideia de quererem colocar um ponto final da vida de Golden Cap e abraçar esta sua nova vida adulta. Ou então nem por isso. Mas que o nosso interesse para com o seu segundo disco cresceu exponencialmente, é mais do que certo.

Deixa um comentário