A banda punk-rock norte americana The Coathangers deu o seu último concerto da tour europeia em Lisboa, no Sabotage Club no passado dia 17 de Novembro. As três moças de Atlanta (Georgia) electrizaram a audiência maioritariamente estrangeira que, pelo sotaque e posicionamento (colados ao palco), depreendemos que fosse anglo-saxónica.

As The Coathangers andam nas lides rockeiras desde 2006 e já editaram cinco álbuns, mantendo-se fiéis à Suicide Squeeze Records desde Scramble (2009). Com quase vinte e cinco concertos no espaço de um mês (é dose!), razão mais do que válida para justificarem o brinde que as acompanhou logo na entrada de palco. Stephanie Luke (baterista) fez um “ Tchim tchim” connosco e com a banda e, por ser o último, avisou que o concerto ia ser “a partir”. E foi!

Vestidas a rigor, fieis à sua imagem de marca com macacões brancos enxovalhados e palavras de ordem manuscritas, exorcizaram cordas e improvisaram batidas durante mais de uma hora. Vozes que se complementam numa espécie de caleidoscópio sonoro, nos agudos revoltosos de Julia Kugel (guitarrista) que podem rebentar qualquer PA menos robusto e a rouquidão demoníaca de Stephanie. Um alinhamento cuidado nas sequências e nos riffs da guitarra de Julia, que arrebataram qualquer especialista das cordas, e nos puseram a dançar como se não houvesse amanhã!

Watch your back, Down down, Follow me, e quase duas dezenas de músicas que têm a originalidade de não se repetir. Pós-punk, punk-rock, um ligeiro “new wave” sem cair na trivialidade das sonoridades mais pop. A baterista trocou com a guitarrista em Shut Up, em seguida a baixista (Meredith Franco) saltou para a bateria e improvisou um set mais divertido que melódico. Stephanie ficou em pé numa performance diabólica enquanto puxava ainda mais pela voz rouca.

A entrada do tour manager na sala provocou um sorriso no rosto da baixista, que tinha passado grande parte do concerto a olhar para a porta. Para provar que cuida das meninas, levou carinhosamente um shot à boca de Stephanie, que desde o início falou com o público com entusiasmo e simpatia. Agradecimentos ao staff do Sabotage (Eliana e técnico de som) e ao tour manager MacKinzie.

Apesar do visível cansaço das três, ainda nos deram mais três músicas no encore para terminarem a tour europeia em grande. “Champagne, whiskey and caviar dreams, (…) the bitchs!” foi o ultimo brinde às grandes The Coathangers!

Deixa um comentário