EDPCoolJazz’18, o bom filho a casa torna

No ano em que o festival EDPCoolJazz comemora a sua 15ªedição, decidiu a organização deste festival fazê-lo regressar onde nasceu. Cascais passa em 2018 a receber de novo o festival, e em espaços que outrora foram mágicos. Numa altura em que o EDPCoolJazz era designado por CoolJazz Fest, jamais esqueceremos concertos de Katie Melua (2009), ou de Seal, Charles Bradley e Jamie Cullum (2011) no Hipódromo de Cascais, apenas para referir alguns de muitos outros exemplos. Na edição deste ano, os concertos serão distribuídos também com o Parque Marechal Carmona, que divide paredes com o Hipódromo de Cascais. De 11 a 31 de Julho, serão cerca de dezanove os concertos em sete maravilhosas noites de verão.

O primeiro dia de festival, a acontecer já na próxima 3ªfeira dia 11 de Julho no Hipódromo de Cascais, uma das maiores atracções EDPCoolJazz. David Byrne de seu nome, o “Senhor Talking Heads” visita-nos para aquele que é um dos concertos mais aguardados do ano. Autor de grande sucessos como “Once In A Lifetime” (1980), ou mais recentemente, “Everybody’s Coming To My House”, é a prova de que vamos estar perante uma das lendas vivas do pop/rock de todos os tempos. Nas primeiras partes, o groove de Jéssica Pina e o calor africano de Sara Tavares, vão-nos ajudar a aquecer os corações.

Não é incrível quando a música nos consegue transportar para uma dimensão fora da nossa? Quando as melodias fazem-nos descobrir mundos nunca antes percorridos? De sermos guiados por harmonias em busca de novas sensações e experiências? BadBadNotGood é isto e muito mais: são quatro rapazes que fazem música como gente grande, revolucionando o jazz com as influências dos dias de hoje, assimilando hip-hop e electrónica numa sonoridade instrumental que grita “espantoso” em cada nota. O ano passado foram sem margem de dúvidas a maior surpresa e o melhor concerto do Vodafone Paredes de Coura. Estará a dose para se repetir no EDP CoolJazz? A primeira parte ficará a cargo dos Dead Combo e de Ricardo Marques, dia 17 de Julho no Parque Marechal Carmona.

No dia 18 de julho é Salvador Sobral quem assume a curadoria, tendo como convidados o angolano Toty Sa’Med, pelo qual tem uma enorme admiração, e o saxofonista Elmano Coelho, sem dúvida uma referência na cena jazz em Portugal e que se junta para as Cascais Jazz Sessions.

Salvador Sobral, vencedor do Festival Eurovisão da Canção 2017, apresentará um espetáculo único na edição deste ano do EDPCOOLJAZZ, onde já atuou em 2016 com a The Cinematic Orchestra, partilhando com o público reportório que se enquadra naquelas que são as suas maiores influências: os standards de jazz, a bossa-nova de João Gilberto e outros ícones da música brasileira, não faltando os boleros e as bonitas sonoridades provenientes da América Latina, mas também os êxitos que o lançaram para um maior reconhecimento público.

Antes de Salvador Sobral, subirá ao palco o cantor, compósito e multi-instrumentista angolano Toty Sa’Med, sem dúvida um dos artistas mais importantes da nova música oriunda de Angola. Em 2016, lançou um EP, intitulado Ingombota, co-produzido por Kalaf Epalanga, onde está bem patente a sua paixão por Sembas da geração N’Gola Ritmos e pela Música Popular Brasileira, fazendo com que a guitarra esteja muito presente nos seis temas do EP. Desse disco, a música “Namoro” foi considerada o melhor Afro-Jazz pela Rádio Luanda em 2017.

A abrir a noite, estará então o saxofonista português Elmano Coelho nas Cascais Jazz Sessions. Nascido em 1982 e Licenciado em Saxofone pela Escola Superior de Música de Lisboa, tendo adicionado à sua formação clássica aulas de jazz e música improvisada com diferentes saxofonistas de renome, Elmano Coelho acompanha alguns dos grandes artistas nacionais, como Aurea, Herman José, Rui Veloso, Pedro Abrunhosa, entre muitos outros.

O dia 20 de Julho será quando Gregory Porter se apresentará em Cascais para nos mostrar o seu último trabalho “Nat King Cole & Me”, com certeza também candidato sério a vencedor de um grammy tal como os seus antecessores “Liquid Spirit” e “Take Me To The Alley”. Com um dos interpretes jazz mais reconhecidos do momento, teremos assegurada mais uma noite mágica EDPCoolJazz em que estará na nossa mente a presença de Nat King Cole, uma das maiores vozes jazz de todos os tempos. As primeiras partes estarão asseguradas por Elas e O Jazz e Vasco Pimentel.

Jessie Ware é uma das principais caras do atual panorama pop britânico, mas cingi-la apenas a este estilo seria de uma enorme injustiça, ou não fosse esta uma das mais versáteis artistas da atualidade, fundindo elementos electrónicos, soul e de R&B na sua sonoridade. Desde o lançamento de Tough Love, em 2014, que a britânica já teve encontrado marcado com Portugal em duas ocasiões, mas ambas viriam a ser canceladas. Com o mais recente Glasshouse, lançado o ano passado, na calha, parece que à terceira será mesmo de vez que Jessie Ware e o público português conseguirão finalmente matar todas as saudades, naquele que será certamente um dos concertos mais aplaudidos da presente edição do EDP CoolJazz. Acontece dia 26 de Julho no Parque Marechal Carmona, com Jordan Rakei e Diogo Duques na primeira parte da noite.

Com 72 anos de vida e mais de 50 de carreira, George Van Morrison é um dos maiores ícones da história da música. O músico, nascido em Belfast na Irlanda do Norte e radicado nos Estados Unidos, continua a compor e a evidenciar os ritmos jazzísticos, R&B e blues. Dotado de uma voz inconfundível que nos acompanhou uma vida, e compositor de êxitos interpretados por conceituados músicos tornando-se marcos de uma geração. Glória de Patti Smith foi disso exemplo.  Ray Charles, Bryan Ferry ou Jimi Hendrix, também pertencem a este vasto grupo de músicos que reinterpretou alguns dos seus temas.

Van Morrison editou mais de três dezenas de discos, tendo em 2017 editado os últimos dois, Roll with the punches em Setembro e Versatile em Dezembro. No final do mês teremos a honra de o ter pela terceira vez num palco português, e muito provavelmente Versatile dominará o alinhamento. Dia 28 de Julho no Hipódromo de Cascais.

A fechar a 15ª edição do EDPCoolJazz, a regresso sensual de Norah Jones dia 31 de Julho no Hipódromo de Cascais. Trata-se de um regresso a Portugal, mas também um regresso ao festival. Em formato trio com Brian Blade e Chris Thomas, e a promover o seu último trabalho entitulado de “Day Breaks” editado em 2016, é esperado que possamos escutar temas como “Come Away With Me”, “Don’t Know Why” ou “Sunrise”. Na primeira parte, o regresso da talentosa trompetista Jéssica Pina a mais uma noite quente EDPCoolJazz’18.

Poderá acompanhar o festival EDPCoolJazz’18 da melhor forma através da nossa área especialmente dedicada ao efeito, está tudo em Reportagens > Festivais > EDPCoolJazz.

Texto – Carla Santos | Carla Sancho | João Catarino | Nuno Fernandes