Sábado, 4 de Fevereiro foi a noite escolhida para o lançamento do álbum The J Spot dos Jackie D., no Sabotage Club, em Lisboa.

Uma noite diferente em várias coisas e com um warm up muito sui generis, protagonizado pelo espectáculo de burlesco de Mizz Kat Tygerfell e Lily Blanche. A casa compôs-se devagar, as pessoas teimavam em não entrar, mas os que iam chegando também não pareciam demasiado impacientes e por volta das 23:30 ouviam-se uns excitantes Ramones. Dir-se-ia que  estavam a desfrutar da música, viam-se reencontros entre amigos e conhecidos, daqueles que encontramos sempre nas mesmas ocasiões, quase como se fosse uma tradição.

Mas eis que às 23:45 todos os olhos se cravam no palco, num misto de curiosidade e não só.

Um espectáculo de burlesco, que o é na verdade, pois Mizz Kat Tygerfell e Lily Blanche conseguem uma boa interpretação da ideia do burlesco, com personagens construídas e acessíveis ao imaginário de cada um, e com quatro músicas “aquecem” o público que ali veio para ver e ouvir ao vivo “”The J Spot” de Jackie D.

Pouco passava da meia noite quando os Jackie D. entram em palco e chamam o público para junto deles iniciando o concerto com três músicas do disco anterior, que são recebidas com entusiasmo por alguns membros do público e alguma curiosidade de outros espectadores.

No entanto foi para mostrar o novo álbum que foram até ao Sabotage. Algumas das novas faixas são apresentadas tendo My Fantasy e Yeah Yeah a melhor recepção, o que é bastante positivo pois trata-se dos singles escolhidos, muito embora “Release my Soul” e “Explode” também tenham tido uma reação bastante entusiasta tanto do público como da própria banda.

Jackie D. no Sabotage, a antítese do politicamente correcto

Embora não conhecendo ainda de cor as músicas, como é apanágio dos públicos nesta franja musical, aqueles que os conhecem melhor aderiram de forma inequívoca.

Aquilo de que os Jackie D falam é universal. Os refrões são feitos de forma curta e expressiva com essa mesma mensagem. Falam de amigos, de estar pelos seus, de lutar pelos sonhos, de derrubar barreiras e ultrapassar obstáculos, ou seja de ser forte e capaz contra todo o lixo que o mundo lança contra as pessoas. E fazem-no quase a rebentar-nos o tímpano, talvez para ter a certeza que a mensagem fica cravada em nós.

Terminado o concerto dos Jackie D, com estes a distribuírem agradecimentos e não só pelos amigos e restante público ainda houve tempo para mais uma sessão de burlesco de  Mizz Kat Tygerfell e Lily Blanche que arrancaram uma espectacular ovação do público e ainda regressaram ao palco uma vez, assistindo-se assim a um diálogo bastante improvável de linguagens musicais, mas que parece ter resultado inesperadamente bem.

Texto – Isabel Maria
Fotografia – Nuno Cruz