O Pequeno Auditório do Centro Cultural de Belém recebeu no sábado passado mais uma banda. No âmbito do CCBeat, os First Breath After Coma trouxeram-nos o último concerto de apresentação do novo disco. Após Leiria, Porto e Coimbra, chegou a vez de Lisboa conhecer “Drifter”, e mesmo havendo vários concertos nas redondezas, não faltou gente para testemunhar o crescimento dos músicos, foi casa cheia.

O concerto teve o mesmo início que o novo álbum, Salty Eyes foi por isso o tema de abertura. É difícil de expressar o que se sente por uma música que só se quer ouvir em loop, pois está tudo perfeito. As várias vozes em eco, a bateria que pujantemente se destaca apesar de estar a um canto do palco, e ainda as guitarras que tão bem funcionam juntas… Tanto o concerto como o álbum começam com o pé direito, sem grandes letras houve no entanto a lindíssima musicalidade, o saber crescer, aumentar o volume nos momentos certos. Houve também músicas do álbum anterior, como Shoes for Man with no Feet e Apnea, mas foram as novas músicas que brilharam mais, tal como Nagmani com o convidado André Barros.

Outro momento alto da noite foram os temas La Mar e Nissihn Maru, que facilmente se confundem numa só música, acompanhados por um grupo de metais. Estes dois temas são a interpretação do livro “Mundo do Fim Mundo” de Luís Sepúlveda, por outras palavras a banda sonora deste conto a bordo de um velho baleeiro pela Terra do Fogo no Chile. Antes do fim do concerto ainda subiu ao palco mais um convidado, Noiserv com o tema Umbrae.

No entanto, rodeados por amigos, fãs e família, era impensável que não fosse pedido um encore. Escape foi verdadeiramente o último tema da noite. O palco apenas teve mais um uso, serviu para uma vénia colectiva dos artistas enquanto a audiência de pé aplaudia efusivamente.

 

Texto – Samuel Pereira
Fotografia – Luis Sousa
Promotor – CCBeat