Tiago Bettencourt é um nome incontornável na música pop/rock portuguesa, agora mais presente no seu registo cantautor. Depois de terminada a jornada com Toranja, lançou-se de há uns anos a esta data em registo “a solo”, que acabou por evidenciar a sua criatividade na composição das suas letras, sempre simples e com muito por dizer.

Na passada 4ªfeira convidou-nos a estar presente na sua festa de final de ano no Coliseu dos Recreios em Lisboa, algo que parece ter passado a ser costume depois de também por esta altura em 2022 termos testemunhado a noite de Tiago Bettencourt com a Orquestra Clássica do Centro.

Desta feita, Tiago Bettencourt convidou-nos a conhecer a sua história, desde menino a este senhor mestre das canções que conhecemos hoje em dia. Da sua infância e adolescência vivida na linha de Cascais, as passagens pelo liceu e os primeiros “enamoramentos” pelas colegas de escola que engraçavam com o “puto mais giro da turma”, a música dos anos 90 que o influenciava e que o levou a comprar o seu primeiro CD, ou, a desejar a primeira guitarra e a tocar os primeiros acordes na cama do seu quarto.

A já evidente queda para as artes e o seu primeiro quadro pintado, a entrada no curso universitário de arquitecura onde se tornou grande amigo de Pedro Pupo que o convidava a formar a primeira banda da sua vida, tudo isto encenado com a entrada em palco de pequenas delicias da sua vida em forma de adereços enquanto Tiago nos contava o relato desde a sua nascença à comemoração dos seus já 20 anos de carreira percorridos. Entre isto, convidados especiais para completar uma noite que foi sem dúvida especial para todos, de Paulo Gonzo a Clemente e Sara Correia, tudo aconteceu no pequeno palco 360º do Coliseu dos Recreios.

O nosso fotógrafo Luis Sousa esteve por lá também e mostra-nos como aconteceu.

Deixa um comentário