“O Puto e o Velho” parece aquela luta que começamos a ter quando chegamos aos 30 e vamos completando mais uma etapa destes intas tão intensos. A luta do adolescente rebelde que nunca deixamos de ser com o corpo que, por vezes, já não obedece da mesma maneira. “O Puto e o Velho” pode parecer muito mais coisas mas, acima de tudo, é uma bela malha de celebração do rock. Aquele que nunca é puto nem velho, aquele que nasce em nós e nos alimenta ao longo desta jornada.

Não sei nada acerca do documentário a quem esta música serve, mas acredito que, na sua essência, existe a intensidade de uma luta que talvez todos lutemos, acompanhada da sonoridade que muitos deveríamos ter na nossa vida.

“O Puto e o Velho”, de Um Corpo Estranho, é uma bela e fresca canção coberta de riffs electrizantes e um ritmo que nos abraça e abana, mostrando-nos que a vida não espera idades!

A dupla Setubalense volta a colaborar com o realizador António Aleixo, com um tema original “O Puto e o Velho” que acompanha o seu novo filme-documentário “Quis Saber Quem Sou”.

Vencedor de um prémio Sophia em 2019 com o documentário “Kids Sapiens Sapiens”, António Aleixo descobre em 2021 um tesouro; onze horas de filme, em Super 8, captadas pelos seus avós. Esse achado leva-o numa viagem à descoberta de quem foram os seus avós, proeminentes figuras da burguesia Setubalense nas décadas de 60 e 70.

Produzido pela GARAGEM e BONZI, “Quis Saber quem Sou”, foi um dos projetos selecionados no âmbito da 1ª Edição das Bolsas de Criação Artística da Câmara Municipal de Setúbal, e pode ser assistido dia 30 de Março no Cinema Charlot em Setúbal.

“O Puto e o Velho” produzido por Sérgio Mendes e pela banda, tem o carimbo da editora Malafamado Records, e já pode ser ouvido em todas as plataformas digitais.

Deixa um comentário