A Sulatron Records fez-nos chegar a notícia do lançamento do LP e CD de estreia desta banda psicadélica, pós-punk de Mantova, Itália a/lpaca. O beat, a força hipnótica e obsessiva que faz lembrar danças primitivas, é o conceito de Make It Better. O álbum passa-se num “beat club” imaginário, que é ao mesmo tempo um lugar de liberação, diversão e agregação e que também dá título ao primeiro single, que saiu a 15 de Janeiro.

O uso do “beat” tem caracterizado os humanos desde o início e atravessou séculos, mudando de forma, mas não de substância. Em Make It Better o beat é sentido como um espírito impessoal que avança, frio e impassível como as linhas vocais, e guia a banda para uma espécie de emancipação artística. É, também, uma forma de se manter unido e de purificação das “responsabilidades” da vida real e da passagem da juventude para a idade adulta. No fundo, é a libertação do medo de não “ser suficientemente bom”. Com refúgio na música e o sonho legítimo de até arranjar um emprego, ou simplesmente sair para beber e dançar com os amigos (“Quero ficar bêbado, é só continuar a dançar com os meus amigos”, da faixa “Make It Better”).
A música dos a/lpaca capta os sinais londrinos dos anos 60, em particular de bandas como Pink Floyd e Soft Machine (homenageadas indiretamente na canção “I Am Kevin Ayers”), mistura-os com o impulso teutónico de Can e, finalmente, atualiza tudo com o exemplo moderno de Thee Oh Sees e King Gizzard & The Lizard Wizard. O resultado é uma explosão de adrenalina selvagem e absolutamente irresistível.

LP e CD são limitados a 500 cópias cada.
Podem ouvir este disco aqui e comprá-lo aqui.

Deixa um comentário