Com o lançamento inicialmente previsto para 2020 mas condicionado pela pandemia, a dupla portuense Baleia Baleia Baleia apresenta agora um novo single, intitulado “Babes do Zodíaco”, que será integrado no novo álbum “Suicídio Comercial” e cujo lançamento acontecerá em Outono de 2021, através da editora Saliva Diva.

“A pandemia fez-nos atrasar o lançamento do disco um ano, mas se calhar foi melhor assim, pudemos dar tempo e dedicação ao sucessor do disco dos óculos e divertimo-nos muito”, afirma Ricardo Cabral, sobre o processo de criação do futuro disco. Depois do lançamento do disco homónimo, em 2018, a banda regressou ao estúdio, para um segundo álbum a ser editado no segundo semestre de 2021, do qual “Babes do Zodíaco” irá fazer parte.

O videoclipe, agora revelado pela banda, é inspirado na cultura pop iconoclasta, no surrealismo e na liberdade própria da videoarte. As cabeças dos músicos são planetas e outros corpos celestes no espaço sideral que contracenam com mais elementos que não deviam lá estar.

“O vídeo foi feito por nós em casa, com a preciosa ajuda do Hugo Santos no jogo de luz caseiro e na fluidez dos movimentos de rotação das cabeças-planeta, e do Daniel Catarino que gentilmente cedeu uma máquina de filmar e um tripé. Teve um orçamento inferior a 50 cêntimos (que nem chegámos a usar), é um espelho do que foi o processo de gravação e mistura deste disco: poucos travões e muitas gargalhadas”, revela Manuel Molarinho.

Numa busca por transmitir assuntos importantes mas ao mesmo tempo sem quererem ser levados demasiado a sério, os Baleia Baleia Baleia aproveitam este primeiro avanço para deixar isso bem presente. Para o lançamento do disco “Suicído Comercial”, agendado para este Outono, a tónica continuará a ser a constante interação entre a realidade contemporânea, muitas vezes capaz de superar a ficção, e que serve de matéria rica e inspiração para a banda conceber as suas músicas.

O single e o álbum são produzidos pela própria banda no estúdio Quarto Escuro.

SOBRE BALEIA BALEIA BALEIA:
Dupla formada por Manuel Molarinho (baixo e voz) e Ricardo Cabral (bateria e voz), formada em finais de 2015 no Porto a partir de jams informais. Depois de um primeiro EP pirata, lançaram em 2018 o homónimo disco de estreia que lhes valeu presenças constantes nos palcos de todo o país, incluindo festivais como o Bons Sons, Circuito Supernova ou o Zigurfest, bem como nas listas de melhores discos e concertos do ano.

Fotografia – Vera Marmelo

Deixa um comentário