E já vão em doze os nomes confirmados para o regresso do Amplifest ao Porto em 2021. Neste novo anúncio agrupam-se ElderIrist Pallbearer. Entre 8 e 10 de outubro passarão ainda pelo Hard Club, Amenra, Caspian, Cult of Luna,  Envy, Holy Fawn, Jo Quail, Oranssi Pazuzu, Telepathy e Wolves in the Throne. Os bilhetes para o evento podem ser adquiridos online, através do site https://amplificasom.com/. O preço para o fim-dee-semana de concertos, experiências, conversas e muito mais é de 115 euros.

Desde a sua estreia discográfica, com o álbum homónimo em 2008, que os Elder têm vindo a enriquecer a sua sonoridade, num percurso que tem afirmado a banda de Massachusetts como uma das mais inventivas da última década dentro do movimento stoner. É, precisamente, no músculo do stoner que os Elder têm a sua raiz; mas a sua evolução artística, registada em obras como Dead Roots Stirring ou Lore, revela uma cada vez mais intrincada tapeçaria em que a psicadelia do prog e do kraut ganha uma preponderância crescente. A jóia da coroa da discografia do quarteto é o mais recente Omens, álbum que os Elder apresentarão no seu aguardado regresso a Portugal, e que está marcado para o palco do Amplifest.

Os Irist, quinteto sediado no estado norteamericano da Georgia, e no qual militam elementos oriundos do Chile, Argentina e Brasil, apresentam-se ao mundo com o disco de estreia Order of the Mind, editado e distribuído sob a alçada da incontornável Nuclear Blast. Order of the Mind é uma possante obra de metal moderno, onde se cruzam referências ao death metal, ao hardcore e ao sludge, bem como a nomes como Mastodon, Gojira e Sepultura; e será este também o cartão de visita que apresentarão na sua estreia em palcos portugueses, marcada para a edição de 2021 do Amplifest.

Os Pallbearer conquistaram o mundo da música pesada desde o início, com o lançamento do seu primeiro álbum Sorrow and Extinction,em 2012 – cuja abordagem clássica e emotiva ao doom metal se manifestou como uma injecção de vitalidade no género. Com os registos posteriores (Foundations of Burden, em 2014, e Heartless, em 2017), os Pallbearer consolidaram a sua linguagem, levando a banda a granjear a aclamação geral da crítica, bem como diversos galardões da indústria musical. Depois de uma marcante actuação na edição de 2014, os Pallbearer regressam ao Amplifest para, desta vez, apresentar o seu último álbum Forgotten Days, o primeiro do quarteto com o selo Nuclear Blast, e que já foi considerado por alguma imprensa como “o melhor álbum doom de 2020”.

Mais nomes e novidades serão anunciados nos próximos meses.

Deixa um comentário