O duo de electro post-punk de Brooklyn The Vacant Lots apresentam ‘Rescue’, o segundo single retirado do seu novo disco a ser lançado no próximo dia 26 de Junho.

A sonoridade que vai beber à essência da no wave dos anos 80 e a cobre de electro post-punk mantém-se fiel a eles próprios e, ao mesmo tempo, o mais fresca possível.

Após o lançamento de ‘Fracture’, o primeiro single, o novo vídeo – dirigido por Samuel Quinn – adapta a música a visuais angustiantes e com alguma carga política, que fazem com que a música apele: ‘Preciso de um resgate’.
Com imagens da banda gravadas fora do confinamento em Brooklyn, cortadas entre montagens distorcidas que retratam a paisagem infernal e sempre tumultuada onde a América se afundou ainda mais nas últimas semanas e meses, Jared e Brian dizem que ‘Rescue’ é “encontrar o sinal no barulho e sentir a necessidade de fugir.”‘American Death / Nothing matters anymore / Closed casket wedding / As this life runs out / I can’t wait / I need a rescue’, a letra recai muito no pós-punk electro da banda.

Interzone é o terceiro álbum do duo Nova Iorquino The Vacant Lots. Interzone é uma mistura quase sintética de dance music e psych feita para ouvintes isolados e party animals que vão para uma pista de dança com phones nos ouvidos. Desinibidos das limitações de duas pessoas e continuando com a missão de que “o mínimo significa efeito máximo”, Jared Artaud e Brian MacFadyen, dos The Vacant Lots, criam um amálgama industrial de sons electrónicos cortantes e beats gelados com vozes fortes e guitarras duras.

O álbum cria ordem do caos e explora o escapismo, o isolamento, conflitos de relacionamento e a decadência. “Interzone é como existir entre duas zonas”, diz Jared. Interzone não significa uma coisa apenas. Pode significar coisas diferentes para pessoas diferentes, dependendo da interpretação. Trabalhar neste álbum foi uma luta constante para reconciliar conflitos internos com tudo o que está a acontecer no mundo. Interzone numa só palavra é dualidade.”

O álbum já se encontra em pré-venda aqui.

Deixa um comentário