Seria a estreia do Música em DX neste tão aclamado Festival Termómetro e foi uma bela estreia esta do passado Sábado, dia 12. O Cinema São Jorge recebeu esta final e já é uma espécie de tradição acontecer nesta sala. Aqui, o que acontece não é só um concurso mas, também, um festival onde a música é apreciada e louvada. Nesta edição, entre os dias 10 de Novembro de 21 de Dezembro de 2018, decidiram fazer algo diferente: as salas escolhidas foram teatros e auditórios, a participação foi aberta a toda a Europa e o Festival percorreu 9 cidades incluindo Funchal e Ponta Delgada. Foram 27 artistas os que passaram por estas 9 cidades e 5 os que passaram à final (Maro; Músculo!; Gator; The Alligator, Jaguar Jaguar e Kings Of The Beach).

Com um ligeiro atraso, esta final começou com um resumo bastante descontraído e divertido de tudo o que marcou cada ano desde 1994 (ano de início do Festival) até à actualidade; passando, diante de nós, um conjunto de excertos de imagens que abrangiam toda e qualquer temática. A diversão continuava de seguida com o artista convidado, B Fachada, que de forma negativa ou positiva, deixou a plateia boquiaberta.
B Fachada entrou em palco como se tivesse mais 20 anos do que tem. Um ar gasto e desleixado acompanha-o a si e à sua guitarra que usou mais à capela do que com PA ligado; afirmava que fora assim que tinha ganho o festival há uns anos. A música de intervenção a remeter a Zeca Afonso continua-lhe no sangue e cada vez mais demarcada e a atitude meio “a mim que me importa”, meio demência também!

Iniciava-se o concurso com a actuação de Maro. Mariana tem uma voz de arrepiar e a suavidade leve da inocência. A primeira canção, com guitarra acústica e eléctrica e cantada a duas vozes em Português, criou uma envolvência bonita. No entanto, as outras canções, mais a roçar a soul, que já contaram com a companhia de uma banda completa, (de formação clássica) fizeram com que perdesse algum encanto, deixando, também, que as notas se perdessem em banalidade e numa tranquilidade aborrecida onde nada surpreendeu.

Os Músculo!, de Pontevedra, vinham a seguir para nos fazer dançar (ainda que sentados). Com uma mesa coberta de maquinaria e botões, saia pelas colunas uma música electrónica cheia de caixas de ritmo e alguns riffs. Cinco rapazes construíam à volta mesa algo meio sintético, meio orgânico que nos fez despertar os sentidos a abanar os ombros. A voz, distorcida, ajudava a completar as batidas  e o ambiente começou a aquecer.

Uma explosão chamada Gator, The Alligator vinha estremecer o São Jorge. Quatro miúdos de Barcelos, cheios de garra e ambição, deram-nos 4 faixas de muito fuzz, distorção, energia e ansiedade. Com uma colagem descarada e assumida a King Gizzard and The Lizard Wizard, estes miúdos sabem o que fazem e fazem-no bem feito e com muita vontade! Fora o momento mais excitante e empolgante até aquela hora e de certeza que o sono passou a muita gente.

Já na recta final, somos surpreendidos pela produção e talento dos belgas Jaguar Jaguar. Estes 5 rapazes davam aquela que seria uma das actuações mais belas da noite. Uma viagem melódica e ritmada que era aconchegada pelas vozes em coro e um ritmo extremamente sensual deixaram-nos com um sorriso nos lábios e um conforto interior bastante caloroso. Duas guitarras, baixo, bateria, teclas e sintetizador trabalhavam em comunhão, tal como as vozes, num caminho que nos remetia à banda sonora de um sonho.

Por fim e para provar que em Espanha se faz muito bom punk, os Kings Of The Beach encerraram o palco com a energia genuína de quem sabe vive o rock! Rapidamente fizeram o público render-se com as suas faixas rápidas, alucinantes e brilhantes. O baixista, Yago, rebentou a corda que segura o baixo e rapidamente se sentou no chão para continuar a tocar com a força de quem transpira música e a ânsia de nunca estar satisfeito. Sem dúvida a melhor prestação da noite!

Variedade de estilos e de qualidade, acima de tudo, um concurso muito renhido e com uma decisão difícil em mão. Apesar da minha preferência não recair sobre os vencedores, percebo a escolha, sabendo que foi justa e com mérito.

Os vencedores foram os Jaguar Jaguar que ganharam uma actuação nos NOS Alive, no Bons Sons, no Iberian Festival Awards, um videoclip e 20 horas de estúdio para gravação.

20190112 - Concertos - Final Festival Termómetro @ Cinema São Jorge

Os Gator, The Alligator ganharam uma actuação no Bons Sons

20190112 - Concertos - Final Festival Termómetro @ Cinema São Jorge

e os Kings Of The Beach uma estadia em qualquer alojamento das Pousadas da Juventude, por serem a banda mais jovem.

20190112 - Concertos - Final Festival Termómetro @ Cinema São Jorge

A minha preferência de vencedor recai sobre esta banda jovem que toca com a maior entrega e genuinidade possíveis, com garra e com muito rock no sangue, sabendo que ainda vamos ouvir muito falar deles.

Parabéns a todos!

Produção – Cego, Surdo e Mudo, Produções Multimédia, Lda

Deixa um comentário