Seria a estreia do Música em DX neste tão aclamado Festival Termómetro e foi uma bela estreia esta do passado Sábado, dia 12. O Cinema São Jorge recebeu esta final e já é uma espécie de tradição acontecer nesta sala. Aqui, o que acontece não é só um concurso mas, também, um festival onde a música é apreciada e louvada. Nesta edição, entre os dias 10 de Novembro de 21 de Dezembro de 2018, decidiram fazer algo diferente: as salas escolhidas foram teatros e auditórios, a participação foi aberta a toda a Europa e o Festival percorreu 9 cidades incluindo Funchal e Ponta Delgada. Foram 27 artistas os que passaram por estas 9 cidades e 5 os que passaram à final (Maro; Músculo!; Gator; The Alligator, Jaguar Jaguar e Kings Of The Beach).

Com um ligeiro atraso, esta final começou com um resumo bastante descontraído e divertido de tudo o que marcou cada ano desde 1994 (ano de início do Festival) até à actualidade; passando, diante de nós, um conjunto de excertos de imagens que abrangiam toda e qualquer temática. A diversão continuava de seguida com o artista convidado, B Fachada, que de forma negativa ou positiva, deixou a plateia boquiaberta.
B Fachada entrou em palco como se tivesse mais 20 anos do que tem. Um ar gasto e desleixado acompanha-o a si e à sua guitarra que usou mais à capela do que com PA ligado; afirmava que fora assim que tinha ganho o festival há uns anos. A música de intervenção a remeter a Zeca Afonso continua-lhe no sangue e cada vez mais demarcada e a atitude meio “a mim que me importa”, meio demência também!

Iniciava-se o concurso com a actuação de Maro. Mariana tem uma voz de arrepiar e a suavidade leve da inocência. A primeira canção, com guitarra acústica e eléctrica e cantada a duas vozes em Português, criou uma envolvência bonita. No entanto, as outras canções, mais a roçar a soul, que já contaram com a companhia de uma banda completa, (de formação clássica) fizeram com que perdesse algum encanto, deixando, também, que as notas se perdessem em banalidade e numa tranquilidade aborrecida onde nada surpreendeu.

Os Músculo!, de Pontevedra, vinham a seguir para nos fazer dançar (ainda que sentados). Com uma mesa coberta de maquinaria e botões, saia pelas colunas uma música electrónica cheia de caixas de ritmo e alguns riffs. Cinco rapazes construíam à volta mesa algo meio sintético, meio orgânico que nos fez despertar os sentidos a abanar os ombros. A voz, distorcida, ajudava a completar as batidas  e o ambiente começou a aquecer.

Uma explosão chamada Gator, The Alligator vinha estremecer o São Jorge. Quatro miúdos de Barcelos, cheios de garra e ambição, deram-nos 4 faixas de muito fuzz, distorção, energia e ansiedade. Com uma colagem descarada e assumida a King Gizzard and The Lizard Wizard, estes miúdos sabem o que fazem e fazem-no bem feito e com muita vontade! Fora o momento mais excitante e empolgante até aquela hora e de certeza que o sono passou a muita gente.

Já na recta final, somos surpreendidos pela produção e talento dos belgas Jaguar Jaguar. Estes 5 rapazes davam aquela que seria uma das actuações mais belas da noite. Uma viagem melódica e ritmada que era aconchegada pelas vozes em coro e um ritmo extremamente sensual deixaram-nos com um sorriso nos lábios e um conforto interior bastante caloroso. Duas guitarras, baixo, bateria, teclas e sintetizador trabalhavam em comunhão, tal como as vozes, num caminho que nos remetia à banda sonora de um sonho.

Por fim e para provar que em Espanha se faz muito bom punk, os Kings Of The Beach encerraram o palco com a energia genuína de quem sabe vive o rock! Rapidamente fizeram o público render-se com as suas faixas rápidas, alucinantes e brilhantes. O baixista, Yago, rebentou a corda que segura o baixo e rapidamente se sentou no chão para continuar a tocar com a força de quem transpira música e a ânsia de nunca estar satisfeito. Sem dúvida a melhor prestação da noite!

Variedade de estilos e de qualidade, acima de tudo, um concurso muito renhido e com uma decisão difícil em mão. Apesar da minha preferência não recair sobre os vencedores, percebo a escolha, sabendo que foi justa e com mérito.

Os vencedores foram os Jaguar Jaguar que ganharam uma actuação nos NOS Alive, no Bons Sons, no Iberian Festival Awards, um videoclip e 20 horas de estúdio para gravação.

20190112 - Concertos - Final Festival Termómetro @ Cinema São Jorge

Os Gator, The Alligator ganharam uma actuação no Bons Sons

20190112 - Concertos - Final Festival Termómetro @ Cinema São Jorge

e os Kings Of The Beach uma estadia em qualquer alojamento das Pousadas da Juventude, por serem a banda mais jovem.

20190112 - Concertos - Final Festival Termómetro @ Cinema São Jorge

A minha preferência de vencedor recai sobre esta banda jovem que toca com a maior entrega e genuinidade possíveis, com garra e com muito rock no sangue, sabendo que ainda vamos ouvir muito falar deles.

Parabéns a todos!

Produção – Cego, Surdo e Mudo, Produções Multimédia, Lda

2 Comments

  1. Stephanie Reardon

    It is a shame Eliana Berto gave so little insight into the depths of emotion emanating from B Fachada’s performance at the festival he won in a previous year. Her final remark, which certainly may be considered slanderous, was that the famous and hugely talented composer and performer was suffering from dementia. In actuality, B Fachada was making a much needed statement regarding the music industry in Portugal and elsewhere today. As a friend and supporter of B Fachada who does not suffer from reticence to speak the truth, I demand an apology from the brash and arrogant Eliana Berto for making the false damaging statement which avoided delving into the truth of B Fachada’s career after “winning” the festival. It is not a pretty story.

  2. Dear Stephanie, thank you for your comment.
    First of all, I think that you need to understand portuguese better. Second, it wasn’t the last year that B Fachada won the Festival, but this is not important.
    The important thing here is that in any word or phrase here you read that i’m speaking bad about him, that i said that he suffer about dementia or any bad thing!!
    And the last point, you can not demand nothing from a thing that you didn’t understand. You can not said that i’m lying. You can not said that i’m blash or arrogant. You can not come here to insult me because you like B Fachada. So, thank you again for your comment, but think twice before you do something like this again, otherwise I need to push by the law to avoid this type of situation.

Deixa um comentário