Quatro meses depois de terem protagonizado um dos melhores concertos da 3.ª edição do MIMO Festival Amarante, os Dead Combo atravessam o Oceano para representar Portugal no MIMO Olinda. A banda portuguesa abre hoje a edição comemorativa dos 15 anos do  MIMO, no palco da Praça do Carmo, com o mais recente “Odeon Hotel“, já aclamado pela crítica brasileira. Ao vivo, Tó Trips (guitarras), António Quintino (guitarras, contrabaixo), Alexandre Frazão (bateria), Gonçalo Leonardo (contrabaixo) e o Marcelo Pereira (saxofone barítono) vão animar o centro histórico desta cidade cuja herança portuguesa está bem presente.

Amanhã. sábado, os Dead Combo ministram um workshop intitulado “Sonoridade em Construção“, no auditório do Conservatório Pernambucano de Música.

Durante três dias, 23 a 25, o MIMO ocupa Olinda com uma programação composta por 46 actividades, entre concertos, filmes, workshops, programa educativo e poesia. Uma extensa programação da qual fazem parte artistas que fizeram história no MIMO como Tom Zé, Hermeto Pascoal, Egberto Gismonti e Emicida. Mas também, Grazie Wirtti, Leandro Braga, 47Soul (Palestina), Lia de Itamaracá e Banda Eddie.

O cinema está em destaque este ano, com a exibição de 19 filmes. O recuperado Mercado Eufrásio Barbosa será o ponto de encontro dos cinéfilos que, entre muitos outros, podem assistir a estreia no Brasil de  “Betty, They Say I’m Different“, de Phil Cox.

Três dias de celebração dos 15 anos do MIMO cujos festejos começaram na edição de Amarante, no passado mês de Julho. É, aliás, para a terra de Amadeo de Souza-Cardoso que o festival regressa em 2019, dias 26, 27 e 28 de Julho.

+info MIMO Olinda

Fotografia (capa) –  MIMO Olinda

Deixa um comentário