O dia 27 de Janeiro marcou o 1º aniversário de Lucifer, terceiro álbum dos The Poppers, e a festa, tal como no ano passado, foi feita no MusicBox. Gostava de vos escrever uma metáfora sobre o concerto, mas à semelhança dos Poppers, que se estão no palco para fazer rock’n’roll, é rock’n’roll que fazem, também eu sou um pouco pragmática.

 

E foi precisamente a fazer rock’n’roll que no concerto de sábado, pela terceira música, o cantor da banda, Raí, já tinha gotas de suor a escorrer pela testa abaixo. Apesar de dedicado a Lucifer, o concerto passou por toda a discografia da banda, desde as mais antigas, como “Lucy” e “Giant Soul”, até às mais recentes, como “Do You Remember” e “In The Morning”, sendo que esta última arrancou uma reacção mais explosiva por parte do público. Mas o concerto não foi todo intenso e suado, também houve espaço para respirar uma atmosfera mais calma e bonita. Mais especificamente em “Days Of Summer”, onde acompanhado pelo talentoso Bonés (guitarrista), Raí mostra mais da sua capacidade vocal com muito sentimento à mistura. Já para momento interactivo houve “Dogdom Blues”, onde a banda tem o hábito de perguntar se há guitarristas que queiram ir ao palco tocar. Contudo, desta vez o cantor limitou-se a entrar no meio do público, enquanto a banda continuava a tocar, apenas para aparecer novamente em palco com um jovem que alegava não saber tocar guitarra, mas que não se safou mal. Isto repetiu-se com mais dois rapazes, sendo que o último se voluntariou para ostentar um pouco a sua técnica. “O rock é partilha”, disse depois Raí num discurso que incentivava as pessoas a serem mais calorosas e a partilharem mais.

Depois de hora e meia de guitarras intensas, subidas a colunas e muita atitude e garra, escolheram para terminar a festa a já conhecida “Drynamill”. “É a última, não fazemos encores” avisou Raí antes de ir backstage. No entanto, não muito tempo depois, porque o público continuou a chamar, voltou para o palco, aclamando que só vinha mesmo dizer uma piada devido a não terem mais músicas para tocar. Mas a plateia não aceitou e obrigou-o a ir buscar o resto da banda. Foi assim, de forma inesperada, que os The Poppers fecharam a noite a tocar pela segunda vez “Peyote”, single de Lucifer, um álbum que está de parabéns pelo seu primeiro aniversário.

Fotografia – Ana Pereira
Texto – Luisa Pereira