A noite estava fria e os nossos corpos também. No entanto, havia um pavio dentro de nós próprios que aguardava um pouco de fogo e calor naquela noite de quinta-feira, dia 10 de Novembro. Esperava-nos um São Luiz cheio, a nós e a ele. As cortinas estavam abertas e, no centro do palco, via-se um pequeno círculo repleto de instrumentos, atrás dele, o reflexo de tudo a ser gravado. Esse pequeno círculo esperava pelo seu mestre. noiserv atendia ao chamamento e sentava-se diante de nós para nos proporcionar uma noite de magia na sua essência mais pura.

20161110 - Noiserv - Lançamento de 00.00.00.00 @ Teatro São Luiz

Com a simpatia habitual avisa que vem mostrar o disco novo,  00:00:00:00 (00:00:00:00, uma nova luz sublime que irradia de noiserv) e abre a noite com a “sete”, o primeiro single deste que é um dos melhores discos do ano. As notas do piano em camadas de loops mostram a grandiosidade que este álbum carrega e enchem-nos de uma súbita estranheza causadora de sentimentos bonitos. De seguida, a “quinze” e o pavio acendeu. Entre as músicas mais carismáticas que já conhecemos como “Mr. Caroussel”, “Tokyo Girl”, “This is maybe the place where the trains are going to sleep at night”, “Don’t say hi if you don´t have time for a nice goodbye” e “Palco do tempo”, histórias, explicações e vivências, brincadeiras, risos e uma humildade gritante.

Os pequenos pormenores ganham sempre um patamar elevado num concerto de noiserv, eles e a mais pequena nota vinda do instrumento ou objecto mais estranhos. O talento e a mestria com que mistura cada som faz de cada momento algo único e arrepiante. Mas não é só isso que torna o concerto especial, a alma e o coração que deposita na sua música faz com que a nossa emoção se eleve e, os olhos fiquem húmidos, ainda que estejam fechados.

20161110 - Noiserv - Lançamento de 00.00.00.00 @ Teatro São Luiz

Foi-nos ainda apresentada a “vinte e três”, a “onze” e “dezoito” do último disco, foram tocados acordes de Bush e foram-nos ofertados 2 encores, sendo o primeiro composto pela “The sad story of a little town” e “Bontempi” e o segundo pela “47 seconds are enough if you only have one thing to do”, porque realmente 47 segundos podem dar para muita coisa!

O que aconteceu nesta noite, para além de nos ter deixado a alma aquecida e alimentada, foi algo imponente e mágico, como se, por longos minutos pudéssemos entrar num transe de puro prazer. O novo álbum, infiltrou-se dentro de nós como o néctar que esperávamos e provou que, ao vivo, mesmo que mesclado com os outros trabalhos, funciona divinamente bem.

“Por vezes perdemos a memória daquilo que gostámos!”

Esta não iremos perder David, pelo menos tão cedo!

 

Texto – Eliana Berto
Fotografia – Luis Sousa