The Twist Connection, a energia que precede o movimento

O Sabotage Club, como já é hábito, voltou a ligar o seu bom nome ao rock, nomeadamente nesta quinta-feira ao rock nacional dos The Twist Connection. Ora apesar de ter sido o primeiro concerto da banda na capital, estes três rapazes não são de modo algum novatos no mundo da música. À frente da banda esteve Carlos Mendes, tem historial com os Tédio Boys, Wraygunn, Bunnyranch e The Parkinsons, e nessa noite foi a voz e bateria. A seu lado esteve também Tiago Coelho no baixo e Samuel Silva na guitarra, com historial em bandas como The Jack Shits, Los Saguaros e Sonic Reverends.

Os momentos mais calmos da noite foram sem dúvida o lento chegar de amigos e conhecidos. Houve o prolongado convívio com Victor Torpedo e Paula Nozzari dos The Parkinsons, João Rui e Jorri dos A Jigsaw e também Pedro Antunes dos Subway Riders, por outras palavras, o público ideal para instigar a banda a dar o seu melhor estava presente. E em pouco tempo o trio ocupou as suas posições em palco.

A simples visão de ver o Carlos Mendes a tocar bateria de pé é por si só imponente, uma pura constatação de energia indomável, ainda mais estando acompanhado pela guitarra e baixo, é rock’n’roll que conquista multidões. O tempo de descanso entre músicas foi sempre o mínimo possível. Foi um frenezim do início ao fim, a ânsia pelo próximo tema foi uma constante e o público correspondia, não havia corpos amorfos na sala, na verdade até se aproximavam do palco. Um dos temas do não muito longo reportório foi dedicado aos A Jigsaw, e em pouco tempo o fim do espectáculo estava iminente. Carlos Mendes deixou o palco e dirigiu-se a cada um dos presentes para agradecer pessoalmente e sinceramente, apenas após todos terem recebido um obrigado voltou ao palco. They Are Coming foi o último tema da noite, um dia esta banda terá um reportório bem mais longo para prolongar a noite.

Texto – Samuel Pereira
Fotografia – Ana Pereira