Kraken emerge de novo. Depois de nadar por águas pouco profundas e, para prevenir acidentes ou falta de oxigénio, Kraken volta à superfície para tomar uma lufada de esperança e partilhar com todo o planeta música feita com muita alma.

Quando a pandemia estava no início, ingenuamente, encontram-se, uma vez mais, no campo naquele celeiro onde o primeiro álbum fora gravado.  Partilharam ideias, tons e melodias e a felicidade que os leva a fazer música. Longe do mar mas imersos em rock’n’roll, os 6 temas que compõem Shallow Waters fluíram, foram gravados e estão agora disponíveis para serem mostrados ao mundo e partilhados com quem quiser flutuar nestas ondas sonoras.

Kraken navega em águas pouco profundas, mas sempre em frente na busca de dias mais claros e de um sentido que o guie, mantendo a rota pelo rock, blues, algum stoner e até soul.

O design deste disco simboliza a bandeira da quarentena marítima, que os marinheiros hasteavam em caso de doença a bordo quando se aproximavam do porto, algo muito vivido nos dias que correm.

Shallow Waters foi co-produzido por Miguel Lima, um velho amigo, a quem a banda agradece a contribuição e paciência e saiu no passado dia 20 de Junho. Estará disponível exclusivamente em formato digital e vai ter a sua primeira aparição ao vivo no próximo dia 15 de Julho na Concentração Motard de Faro. Não sabe se voltará a sair de dentro de água, mas até lá, podem nadar com ele por este mar calmo que tão bem norteia a alma dos navegantes.

Podem mergulhar e nadar com Kraken aqui.

Kraken é uma criatura multi-tentáculo nascida à beira-mar. A sua força é devastadora e bela ao mesmo tempo. Cada braço do seu corpo tem vida própria, poder e robustez. Quando trabalham juntos, eles criam uma mistura de rock, soul e blues à deriva com o swell, sem destino ou propósito específicos, mas com a certeza de que será uma jornada cheia de prazer.

Kraken nasce em Agosto de 2018 pelas mãos e mente de Manuel Portugal (Drill, Stone Cold Lips). Este, de guitarra no dorso, junta António Pedro (Drill) ao baixo, Diana Silveira (Diana Silveira) à voz e Pedro Gonçalves (Drill, Fuzz Dogz, Miss Lava) à bateria e juntos formam o ser que, ao contrário do mito, não mais é devastador, mas sim fruto de pleno deleite.

Cada tentáculo é movido pelo coração e, cada criação, traduz-se na conjugação de todos. Kraken faz música porque gosta e porque acredita que a música é uma fonte de partilha que tem a força das vagas do oceano. Kraken não edita discos em formato físico e lançou o seu primeiro trabalho em Fevereiro de 2020, de nome Unnamed Sea.

Deixa um comentário