A Casa das Artes de Arcos de Valdevez recebe nos meses de Fevereiro e Março 11 concertos intimistas, que evidenciam o melhor da música portuguesa, nos seus diferentes géneros, naquele que é o primeiro festival do ano. Intimismo, proximidade e concertos irrepetíveis são marcas identitárias do Sons de Vez, o primeiro festival do ano que desde 2002 decorre, sem interrupções, no Auditório da Casa das Artes de Arcos de Valdevez, sendo hoje um dos mais consagrados e respeitados momentos de promoção da melhor música nacional, que congrega, como nenhum outro, artistas e público numa comunhão de emoções e diálogo musical.

Este ano será também momento de reencontros e novidades. Logo a abrir, a 08 de Fevereiro, um regresso ao Sons e uma despedida emotiva dos palcos com os amigos Dead Combo de Tó Trips e Pedro Gonçalves.

No fim-de-semana seguinte, a 15 de Fevereiro, a herança étnica e cultural dos D’Alva transporta-nos para um universo onde a liberdade e a energia próprias dos trópicos se cruzam com uma forte estética pop.

A 22 de Fevereiro, o Sons de Vez faz uma revisita ao universo sonoro de Pedro e os Lobos, agora com o apoio do Coro Infantojuvenil do Conservatório de Música e Dança de Arcos de Valdevez, provando que a música é também multigeracional.

O mês de Fevereiro termina a 29 com uma aposta no bom gosto musical e na sensibilidade apurada, na criatividade e no fulgor de uma banda que parece imparável, os Capitão Fausto que se apresentam em palco com “A Invenção do dia claro”.

Para o arranque do mês de Março, mais concretamente no dia 07, a proposta é de pluralidade sonora com as performances de OMIRI que nos sugere um baile electrónico com a remistura de temas do nosso cancioneiro tradicional aqui misturadas com ritmos dançáveis; e Maria João Fura que se apresenta em quinteto para dar a conhecer o disco “Fura” recheado de belas canções em português.

A 14 de Março, os Rackham iniciam as hostilidades transportando-nos para um universo sonoro experimental e progressivo, abrindo espaço à intervenção dos PAUS que nos têm habituado a concertos vibrantes e carregados de energia. No fim-de-semana seguinte, a 21 de Março, um momento histórico que coloca em palco os locais Nó Cego que quebram assim um interregno de 10 anos sem tocar e os “raros” Tarantula, pais do Heavy Metal nacional.

Esta 18.ª Edição termina da melhor forma, a 28 de Março, com concerto a cargo de uma das grandes vozes do fado na atualidade e uma das artistas portuguesas com maior projeção internacional, Carminho.

Igualmente marca identitária do Sons é a exposição de fotografia sobre alguns dos melhores momentos da edição 2019 do festival, a decorrer no Foyer do Auditório.

Os concertos têm sempre início marcado para as 23h00 e os bilhetes são colocados à venda na semana respeitante a cada concerto, podendo ser adquiridos localmente ou por reserva telefónica através do número +351 258 520 520.

+ info casadasartes@cmav.pt | facebook.com/sonsdevez

Fotografia (capa) – Sons de Vez

Deixa um comentário