Omar Souleyman. O cantor de casamentos mais amado da Síria e do mundo esteve de novo em Portugal, desta vez para o lançamento do novo álbum, Shlon, do passado mês de novembro. Presença já habitual um pouco por todo o país, esgotou mais uma sala, desta vez o Musicbox.

Casa cheia e vamos lá embora. Que comece a festa. A história de Omar já é relativamente conhecida, e depois de mais de uma década a fazer escala um pouco por todo o mundo, voltou a fazer paragem em Lisboa. O Musicbox não é palco estranho para o Rei do Techno Sírio, sendo que da última vez até teve honras de abertura da parte de Conan Osíris. Este ano não houve primeira parte, mas fomos diretos à festa.

Verdade seja dita, poucos são os temas que reconhecemos à orelha da sua parte, o Warni Warni constou na noite, tal como o Ya Bnayya. Mas todos os temas, relacionados com o amor e a Síria marcaram uma toada de festa com muitos conterrâneos, que contagiavam com o seu estilo de dança. Outros foram às filas da frente só para o cumprimentar ou então para cantar com ele.

Shlon é o seu trabalho mais recente e que também teve a sua presença no concerto de sábado, recorre à mesma fórmula de sucesso. Afinal de contas, equipa que ganha não mexe. Temas ritmados, com uma carga techno muito forte, dabke (o estilo que inspira uma dança media oriental) e baladi, que podemos aproximar a um estilo folk-egipcio.

O seu fiel teclista, Hasan Alo também merece créditos do êxito desta noite, já que tomou conta do rumo da noite atrás dos seus dois pianos/sintetizadores. Com os ritmos quentes, dinâmicos e únicos, contagiou-nos enquanto Omar cantava. Omar não é um homem de muitas expressões, mas aqui e acolá esboçava um sorriso e um thank you, enquanto batia palmas puxando ainda mais por uma plateia que já tinha dificuldades em mexer, já que estávamos todos apertados.

O que foi em tempos um emprego de part-time, como músico de casamentos, agora é uma carreira internacional, sendo já produzido pela produtora do Diplo. Ainda bem que foi descoberto. Ainda bem que nos deu mais uma festa inesquecível. De Tell Tamer, na Síria, para o Musicbox, com amor.

Deixa um comentário