Teve lugar ontem de manhã no Salão Nobre dos Paços do Concelho da Câmara Municipal de Lisboa, a apresentação oficial do movimento DeclareAção. Este movimento visa sensibilizar os consumidores de festivais de música (vulgo festivaleiros) para, mais do que terem uma consciencialização ambiental deverão agir (Ação).

Apesar de este compromisso ser de âmbito nacional, pois os 287 festivais cobrem Portugal continental e ilhas, não foi por mero acaso que Lisboa foi a cidade escolhida para esta apresentação. Desde o dia 11 de Janeiro que Lisboa recebeu da sua antecessora, cidade de Oslo, o galardão de Cidade Verde Europeia 2020. E foi neste contexto que o Vereador José Sá Fernandes deu as boas-vindas a este conjunto de organizadores, promotores e autarcas que, publicamente se comprometeram a contribuir a uma escala local por um ambiente melhor e mais sustentável. O Vereador do Pelouro da Estrutura Verde, Ambiente, Energia e do Clima, agradeceu aos promotores o que os festivais “fizeram à sua vida”, onde anonimamente frequentava com muita assiduidade.

Roberta Medina, a representante do maior festival de música que tem lugar em Lisboa, o Rock In Rio, é a porta-voz deste projecto e foi ela que apresentou o vídeo promocional da DeclareAção. Para a empresária, “este movimento não tem a marca de nenhum dos festivais. Temos que fazer a nossa parte como agentes da cultura, como formadores. Se cada um fizer a sua parte chegamos mais rápido”. Segundo dados estatísticos da revista Forbes, cerca de 94% dos jovens da Geração Z considera a “Música” como “Importante” e “Muito importante” nas suas vidas. E por isso os profissionais de música, incluindo os próprios músicos, têm uma responsabilidade acrescida na promoção destas acções. E se a escolha for uma acção cool  conseguem chegar a um maior número de pessoas. Referiu ainda o exemplo do “apagão no Brasil” onde, apesar de ter sido acidental, provocou uma redução do consumo de energia em 20% naquele mês.

Seguiram-se outros promotores, como Álvaro Covões (Festival NOS Alive, Everything Is New) que partilhou que o Alive já se preocupa com as questões ambientais há muito tempo. Apesar do NOS Alive nunca ter sido fundamentalista, sempre incentivou os pequenos gestos individuais que marcam a diferença, como por exemplo os brindes dos patrocinadores, substituir os geradores por outras alternativas de energia, etc. João Carvalho aqui a representar dois dos festivais nortenhos, NOS Primavera Sound no Porto (Parque da Cidade) e o Vodafone Paredes de Coura (Praia fluvial do Taboão), referiu que o Festival Paredes de Coura apoia muitas associações culturais da região. O Presidente da Câmara Municipal de Caminha, Miguel Alves, relembrou que o Festival Vilar de Mouros foi revolucionário (à época) e pediu para que volta-se a sê-lo, neste contexto ambiental. Curiosa também foi a observação de Vítor Pereira, Presidente da Câmara Municipal de Paredes, em relação aos festivais de música: ” os Festivais são uma fábrica (…) e o marketing é uma distorção positiva da realidade”. Vitor Pereira desafiou ainda o grupo que se encontrava naquela sala, a fazer uma conferência de imprensa daqui a um ano com os resultados deste movimento.

O movimento DeclareAção visa desafiar os jovens-líderes entre os 16 e os 30 anos (a população mais representativa dos festivais). Estes jovens-líderes passaram por uma validação em que os seus perfis de liderança serão identificados. Numa segunda fase, serão seleccionados 30 que representarão os diferentes distritos do país (géneros, nacionalidades, classes sociais e formação). Por último, este grupo de jovens-líderes irá participar num workshop de onde sairão 17 atitudes / acções enquadradas nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e publicadas através de gifs e # que estarão disponibilizados nas redes sociais dos festivais.  Até 31 de janeiro, os jovens que quiserem participar poderão fazê-lo através do email participa@declareacao.com. 

Fernando Medina Presidente da Câmara Municipal de Lisboa encerrou o evento dizendo algumas palavras de apoio a esta causa: “este movimento é inteligente porque é individual e tem uma enorme importância social e politica. Porque o discurso dos políticos tem sempre limitações e estes agentes são os que têm mais poder na comunicação”. Acrescentou ainda de que, “ter o galardão de Capital Verde Europeia 2020 é essencialmente para Agir (…) e queremos que este seja um movimento nacional.”

Iremos aguardar mais noticias sobre as 17 medidas para a Ação e fazer a nossa parte, e como disse o João Carvalho: “estamos juntos”.

As entidades representadas:

Better World (promotora do Rock in Rio); Everything is New (promotora do NOS Alive), Música no Coração (promotora do Galp Beach Party, Super Bock Super Rock, Super Bock em Stock, MEO Sudoeste, Sumol Summer Fest), Pic Nic (NOS Primavera Sound), Ritmos (Vodafone Paredes de Coura), Surprise & Expectation e Câmara Municipal de Caminha (EDP Vilar de Mouros), Câmara Municipal de Sines (FMM Sines), Live Experiences (EDPCOOLJAZZ e ID NO LIMITS), Câmara Municipal de Loulé (Festival MED), MOT (RFM SOMNII), PEV (MEO Mares Vivas), Sons em Trânsito e Câmara Municipal de Faro (Festival F), Surprise & Expectation (EDP Vilar de Mouros), APEFE – Associação de Promotores de Espetáculos, Festivais e Eventos e a APORFEST – Associação Portuguesa de Festivais de Música.

Deixa um comentário