Nelson Graf Reis é um cantautor que vive entre Londres e Portugal. Amante do punk-rock e do folk, dá a mão a uma aura de boas energias e boa disposição tornando o seu caminho e o dos que o rodeiam mais fácil e belo.  É um prazer vê-lo crescer enquanto músico e em todos os projectos onde se envolve e é uma lufada de ar fresco ouvir este seu primeiro disco de We Bless This Mess em formato banda, constituindo um trio. Composto num quarto no meio de Londres, Awareness Songs and Sides Stories saiu no passado dia 14 de Setembro e é uma prova de que a nossa consciência e a consciência humana podem, muitas vezes, não estar interligadas ou em sintonia. É um abrir de olhos e um abanão para o todo onde nos inserimos e o indivíduo que somos no meio deste todo.

A minha consciência é e vai ser sempre um processo evolutivo, e sim este disco é uma wake up call para o mundo em que vivemos. Temos de nos unir como seres conscientes e mandar a baixo as estruturas arcaicas desta sociedade, que são responsáveis pela a segregação e manipulação dos indivíduos que vivem nela.”

Não só de mensagem lírica (à qual devemos prestar uma importante atenção) vive este disco, há toda uma composição envolvente e quase transcendente que o acompanha e nos faz sentir aconchegados e felizes ao ouvi-lo. Há aqui uma carga de punk-rock diferente da que estamos habituados. Com mais melodia, menos sujidade e mais absorção de cada nota em si.

Começamos pela intro com cerca de 1 min coberta de uma introspecção harmoniosa que nos desvenda o véu do que vem no seu seguimento: algo puro, genuíno e extremamente belo.
Preparem-se então para subir a um carro, descapotável de preferência, e fazer uma viagem de encontro a um horizonte que transporta em braços um azul cristalino e apaziguante, enquanto nos cruzamos com uma paisagem que mistura verdes e azuis e saboreamos o toque da brisa na nossa pele.


“Ter criado este disco foi uma concretização pessoal porque foi sempre um sonho meu fazer um disco de Punk-Rock, e estou feliz porque esperei o tempo suficiente para que este disco ficasse como eu imaginava.”

“Life for Today” começa com a calmaria da guitarra acústica trazendo agarrado a si o conforto de uma voz que rasga o asfalto em harmonia e nos faz sorrir e querer ficar até ao fim. A intensidade vai aumentando e “Sound” traduz-se num movimento mais acelerado que nos aumenta o batimento cardíaco e faz abanar a cabeça em forma de headbanging suave. O último single que saiu, “Intentions”, resume a essência do álbum liricamente e abre-nos uma estrada nova onde a emotividade e a magnitude da paisagem se apoderam. Aqui encontramos explosões sonoras de equilíbrio e simplicidade desdobrada em completude e sorrisos. É difícil não abraçarmos os riffs, é difícil não mastigarmos a voz e, ainda mais difícil, não fazermos repeat.

“A intenção é mesmo fazer acordar as pessoas para um novo estado de consciência. Acordar para o universo interior, acordar para uma realidade onde cada um de nós tem a responsabilidade de moldar o seu próprio destino.”

Em “Love is Life” deparamo-nos com guitarras ainda mais enérgicas e vibrantes e o aconchego de acordes quentes e magnetizantes. De seguida, um interlúdio, para quebrar as emoções já elevadas. Uma pausa para fumar um cigarro na viagem e pensar no caminho que já percorremos com os cabelos ao vento. De seguida vem o single de apresentação que saiu há 1 ano: “Ocean” abre-nos os horizontes fazendo-nos acelerar e quase que tocar ao de leve no céu com a ponta dos dedos.

A seguir vem a fase da revolta! “Manifesto” apresenta-se como uma faixa mais agressiva instrumentalmente, fazendo com que travemos de repente e comecemos a despejar a adrenalina em actos de rebeldia, conseguimos, aqui, sentir o cheio da desobediência, libertação e persistência. Para finalizar a viagem e já de sorriso rasgado, “It’s Just a Matter of Practice” faz-nos respirar fundo e sentir a leveza das ondas puras e harmoniosas que We Bless This Mess tanto sabe transmitir em contraposição com a energia contagiante do seu punk-rock limpo e bem delineado.

Awaraness Songs and Side Stories é uma viagem que não se nota ao passar, é uma intensidade pura e bela de quem carrega consigo uma alma cheia de intenções e uma consciência de que a música é o que nos alimenta e nos mostra o caminho! 

A tour de apresentação do álbum vai contar com as seguintes datas:
12.10.2018
Hardclub, Porto, PT
20.10.2018
Bafo de Baco, Loulé, PT
26.10.2018
The Fest, Gainesville-Florida, USA (solo) 16.11.2018 De Kroepoekfabriek, Vlaardingen, NE 17.11.2018 El Topo Goes Frigo Festival, BE
18.11.2018 Lola, Groningen, NE
23.11.2018 Boston Music Room, London, UK
24.11.2018 Sticky Mike’s Frog Bar, Brighton, UK 25.11.2018 Soup Kitchen, Manchester, UK
26.11.2018 Head of Steam, Newcastle, UK
27.11.2018 Bannermans, Edinburgh, UK
28.11.2018 Key Club, Leeds, UK
29.11.2018 The Maze, Nottingham, UK
30.11.2018 A38 (Art Gallery), Budapest, HU
08.12.2018 Craufurd Arms, Milton Keynes, UK
09.12.2018 Waterfront, Norwich, UK
16.01.2019 SGB Tattoo, Gorizia, IT (solo)
17.01.2019 Kino Siska, Ljubljana, SLO
18.01.2019 White Rabbit, Freiburg, DE
19.01.2019 Cord Club, Munchen, DE
21.01.2019 Monarch, Berlin, DE
22.01.2019 Plan B, Bielefeld, DE
23.01.2019 Astra Stube, Hamburg, DE
25.01.2019 AZ, Aachen, DE

“Para os concertos de apresentação obviamente vou tocar com banda, mas para além disso tive em mente manter um conceito de coletivo entre diferentes projectos, por isso em diferentes territórios vou ter convidados especiais para se juntarem a banda. Basicamente quero mostrar que nenhuma banda cresce sozinha, precisamos de nos apoiar uns aos outros e crescer juntos. Em Portugal, o grande Fast Eddie Nelson vai-se juntar a banda para os concertos de apresentação.”

Estamos perante um elogio à vida! Um culto à arte de fazer boa música e a uma aura enérgica de leveza que dificilmente nos sairá do corpo.

Podem degustar este álbum aqui.

Citações – Nelson Graf Reis