​Foreign Poetry lançaram o seu novo single “MHL” dia 25 de Maio, através da Pataca Discos. Danny Geffin (inglês a residir em Brighton) e Moritz Kerschbaumer (austríaco a viver em Londres) conheceram-se na capital britânica no Verão de 2011, quando ambos tocaram no The Ritzy, em Brixton – Moritz com Luís Nunes, mais conhecido por (Walter) Benjamin e Danny com os seus Geffin Brothers. Desde esse momento que ambos têm partilhado um longo historial de encontros e parcerias musicais.

O projecto ​Foreign Poetry começa a ganhar forma a partir do Inverno de 2016, altura em que os dois  compositores e multi-instrumentistas encontraram o método que os levaria a uma plena dimensão colaborativa – vivendo em cidades diferentes. Seguiu-se cerca de um ano de trabalho, com trocas de ficheiros e ideias entre Londres e Brighton e alguns dias por mês passados juntos no estúdio.

Deste processo resultou um conjunto de canções com uma continuidade e um carácter próprios e o disco tornou-se uma evidência. As últimas peças no puzzle foram as sessões nos estúdios da Pataca Discos, em Lisboa, onde o álbum ganhou uma nova dimensão sónica e textural e a magia-extra que alguns amigos músicos acrescentaram à gravação: Anna Louisa Etherington (violino), Alice Febles Padron (coros), Luís (W. Benjamin) Nunes (bateria, percussão e coros) e Tony Love (bateria).

As 11 canções que compõem “Grace and Error on The Edge of Now” parecem oscilar entre o abstracto e o concreto. Os temas são múltiplos mas todos reflectem aspectos do mundo contemporâneo: o confronto entre ideias políticas opostas, a celeridade tecnológica e o seu impacto humano, a disseminação da informação e as mudanças na nossa consciência, a doutrinação da juventude, a passagem pela adolescência e o medo de voar.

Danny Geffin: “O álbum é uma tentativa bastante sincera de nos lembrar coisas muito simples e humanas que tendemos a esquecer e é também um alerta para a contínua perda de sentido e propósito como consequência do caos aberto e globalizado em que vivemos. Se este é o melhor momento para estarmos vivos, então por que é que não parece?”

MHL“, o segundo single, tem um carácter mais dançável que “Sparks“, o tema de estreia lançado há cerca de dois meses e com reminiscências de bandas como The National, Alt-J e Future Islands. O ritmo é “up-tempo” em contraste directo com a atmosfera melancólica que a banda cria de forma elegante. O seu significado divide-se em duas temáticas: a primeira é um olhar nostálgico para as amizades perdidas e as memórias amargas dos tempos mais simples; a segunda uma observação dura das relações hoje em dia, que são enegrecidas pelas redes sociais e as conexões aceleradas. O vídeo de “MHL” foi realizado pelos Apparat Lux (Viena) com filmagens entre Hackney, Londres, e os Alpes austríacos.

Danny Geffin: “Com estes paradigmas regidos pela cadeia da Internet, toda a gente procura as respostas certas para as perguntas erradas, todos querem saber coisas no lugar de sentirem o que sabem que está certo”

A estreia ao vivo dos ​Foreign Poetry em Portugal aconteceu no prestigiado NOS Primavera Sound, ao lado de artistas como Nick Cave and the Bad Seeds, The War On Drugs, Father John Misty, Mogwai e Idles.

+ info ​Foreign Poetry

Fotografia – Apparat Lux