Tio Rex, 5 tragédias num drama sensorialmente belo!

Toda a tragédia tem uma catarse. Toda a catarse arrasta consigo uma aura de purificação e libertação que inunda as almas de completude na sua forma mais plena.

Há um Tio que vem de Setúbal e conhece a essência da catarse e sabe aquilo que ela é capaz de nos proporcionar. Falo de Tio Rex e do seu novo EP intitulado 5 Tragedies. Imaginem 5 tragédias e 5 catarses, imaginem agora, de olhos fechados, a magnitude dessas mesmas catarses juntas num só momento à distância de um play. Tio Rex, ou Miguel Reis, voltou à composição em língua inglesa e com ela a força estonteante de um intimismo explosivo que aperta o coração ao mesmo tempo que o aconchega em braços de veludo.

Encontramos um conjunto de contos marcantes que se tornam reconfortantes quando unidos em simbiose com a conjuntura musical que os acompanha. Trata-se de um EP extremamente belo e sensível envolto num círculo perfeito de ofegante veemência, paixão e calmaria intrigante que nos faz sonhar acordados.

O início deste EP revela uma introdução que rompe o silêncio de uma maneira extremamente forte de forma a que, em segundos, estejamos já rendidos. “The Dark Con Of Man” tem a força de uma batalha e a robustez de um escudo personificados na voz quente de Miguel e nos acordes subtis da guitarra. Aqui, podemos encontrar o sabor de desejos e almas perdidas que nunca deixam de ser nossos!
Em “A Harsh Self-Realization” arrepia-nos a suavidade das teclas com uma voz apaixonante que nos embala e resguarda do mundo. De olhos fechados, assistimos ao confronto pessoal que se une a nós por um fio ténue e frágil alimentando-nos e dando-nos força para continuar. “This is An Intervention” reporta-nos a um espaço escuro com Miguel sozinho num palco. Um foco a iluminar, um copo de whisky a meio e um cigarro a queimar. Com ele, a guitarra e uma aura de encantamento e misticismo desconhecido, elegante e, ao mesmo tempo, a descoberto. “The Gods Are Dying” enche-nos de uma magia profunda que nos deixa em transe, imóveis e de pêlos em pé, começando pela crueza de um travo que ouvimos nitidamente. Por fim, uma celebração que mistura a poesia cantada em inglês com a cantada em Português com “The Sinking Of S.S. Friendship”. Se o início foi arrebatador, o final concluiu o 5º capítulo da história com chave de ouro!

Um EP intenso, desconcertante e robusto. Encontramos nele a majestosidade de Cohen e a irreverência de Adam Green. Há toda uma envolvência quente e amarga da melancolia que nos satisfaz e absorve em traços de uma folk que vem da alma.

Porque a melancolia não tem de ser triste. Porque a melancolia transporta consigo o peso da intensidade melódica. Porque a melancolia traz solidão mas a solidão é um lugar que precisamos de encontrar a seu tempo para poder saborear a plenitude das coisas!

5 Tragedies saiu a 18 de Março e pode ser escutado e degustado aqui.

Próximas datas:
12/05 – Concerto Surpresa, Lisboa
13/05 – Fnac, Almada
25/05 – Pátio da Casa, Portalegre
26/05 – Fnac, Évora
01/06 – Teatro O Nariz, Leiria
02/06 – Galeria Cabaret, Pombal
03/06 – Fnac, Colombo
16/06 – Sabotage Rock’n’Roll Club, Lisboa

Texto – Eliana Berto